Foco Inabalável por Dandapani | TEDx Reno

Foco Inabalável é o primeiro de uma série de posts onde eu realizarei uma tradução livre do inglês para o português de vídeos relevantes sobre tecnologia, consciência, auto desenvolvimento, empreendedorismo, meditação, entre outros temas.

O intuito é que o conteúdo seja espalhado para todos que não consomem conteúdos maravilhosos por simplesmente não entender inglês.

O primeiro vídeo escolhido foi uma palestra realizada na TEDx Reno, onde o padre hindu Dandapani fala sobre como ter um foco inabalável!

Foco Inabalável | Dandapani | TEDxReno

Uma tradução livre de Unwavering Focus | Dandapani | TEDxReno

O vídeo original, que está contido neste post, é de propriedade do canal no youtube TEDx Talks.

O vídeo

Tradução

Quando eu era uma criança, eu fui frequentemente provocado por ser muito distraído.

Provocado por não ter a capacidade de concentrar-se, e você sabe, se eu não tivesse nascido há algumas décadas atrás, eu provavelmente teria recebido uma daquelas siglas fantásticas, como TDA ou TDAH, rotulado e provavelmente medicado por não ser capaz de me concentrar, certo?

Foi apenas depois de eu completar meus vinte e poucos anos, quando eu me formei na faculdade (Eu cresci na Austrália, e fui embora para o Hawaii), onde eu entrei para o mosteiro do meu guru, um enclausurado e tradicional mosteiro hindu, onde ele me ensinou como me concentrar. 

E é isso que eu quero que vocês tenham em mente, o conceito de ser ensinado como se concentrar.

Na minha humilde opinião, a maioria das pessoas não conseguem concentrar-se hoje em dia, e por duas razões:

Primeiramente, nós nunca fomos ensinados como se concentrar.

E em segundo lugar, nós não praticamos a concentração.

Então como você pode fazer alguma coisa que você nunca foi ensinado como fazer?

E como você pode ser bom em algo que você não pratica?

Vamos fazer uma pequena pesquisa aqui:

Quantos de vocês, aqui na plateia, foram ensinados formalmente como concentrar-se? Vocês podem levantar as mãos?

Tipo, um treinamento formal em concentração na escola, com aulas todas as semanas.

Tudo bem, uma pessoa… Duas pessoas nessa plateia. Certo.

Então aqui vai uma pergunta para vocês:

Quantos de vocês aqui nesta sala, receberam instruções para se concentrar enquanto cresciam? – Risadas –

Isso não é surpreendente?

As pessoas nos falam para nos concentrarmos, porém elas não falam como fazer isso. E falavam para eu me concentrar o tempo todo.

  • “Dandapani, se concentra em comer a sua comida!”
  • “Dandapani, se concentra em fazer a sua lição de casa”

Alguém quer me mostrar como que eu faço isso? Quantos de vocês aqui possuem filhos?

Certo, e quantos de vocês falam para os seus filhos se concentrarem? – Risadas – 

Vocês as ensinam como fazer isso?

Não, certo? E depois vocês se perguntam porque elas não conseguem se concentrar!

Você não pode esperar que alguém faça algo, se você não a ensina como fazer isso. E se ela quiser ficar boa nisso, elas precisariam praticar, certo?

Então, se eu quisesse jogar no Chicago Bulls, ou dançar na Companhia de Ballet de São Francisco, sabe, eu sempre faço essa pergunta nas minhas palestras, eu pergunto às pessoas:

Quantas horas por dias eu preciso praticar?

A resposta padrão geralmente é entre oito horas por dia, seis dias por semana.

E depois eu pergunto:

Então depois de seis meses, será que eu consigo jogar no Chicago Bulls?

E a resposta geralmente é não.

E depois de um ano?

Não.

Mas eu seria um jogador de basquete melhor, certo? Eu seria um dançarino de Ballet melhor.

Então imagine se você praticar a distração oito horas por dia, seis dias por semana. Você ficaria bom em que depois de seis meses? Distração.

Depois de um ano?

Você ficaria muito bom em ser distraído!

Depois de um ano e meio? Você seria um expert em distração!

Você escreveria um best seller do New York Times sobre distração!

A TEDx te convidaria para a palestra principal sobre distração. Você subiria no palco, você estaria tão distraído que você esqueceria sobre o que você ia falar. 

E isso é o quão bom você é! Certo?

Porém, a verdade é nós não praticamos a distração oito horas por dia, seis dias por semana.

A verdade é que provavelmente nós praticamos 16 horas por dia, sete dias por semana.

Uma pessoa na média dorme de sete a oito horas mais ou menos. Então nós ficamos acordados por volta de dezesseis horas do dia.

Vamos supor que na média, nós estamos praticando treze horas por dia, sete dias por semana. Distração.

E depois você se pergunta porque você é tão bom nisso!

Essa é a lei da prática. A lei da prática diz que nós ficamos bons em qualquer coisa que praticarmos.

Não importa se isso é algo positivo ou negativo, simplesmente não importa!

Se você praticar algo dia após dia, você ficará muito bom nisso!

E é por isso que as pessoas são tão boas em distração, porque é isso que elas praticam.

Porque as pessoas não são boas em concentração? Porque eles nunca foram ensinados, e eles nunca praticaram.

Eles não precisam ser medicados. Eles só precisam aprender como fazer isso.

As crianças não precisam ser drogadas. Elas são precisam aprender como se concentrar. E depois elas precisam praticar, como em qualquer outra coisa. Para ser um bom jogador de tênis, ser um bom dançarino, um ator, qualquer coisa.

Pratique, pratique, pratique.

E depois as pessoas falam coisas como: A tecnologia é uma grande distração, certo? Celulares.

“Ah, eu tenho essa coisa, tão distrativo, o meu celular, a internet.”

São coisas distrativas? Primeiramente eu gostaria de dizer não, e depois sim. 

Mas principalmente não.

Porque? Deixe-me contar uma história.

Quando eu fui embora da Austrália, assim que eu terminei a faculdade e cheguei no Havaí para ser um monge, era um mosteiro bem tradicional.

Então, quando você entra para um mosteiro como o que eu entrei, você literalmente precisa se desfazer de tudo:

  • A sua família
  • Seus amigos
  • Todo mundo que você conhece
  • Tudo o que você possui

E quando você entra no mosteiro, você recebe alguns roupões, uma japamala, e um MacBook Pro.

Sim, eu realmente disse um Mac.

Então, todo monge tem um Mac, e quando os iphones apareceram, nós tínhamos um iphone também!

E isso é bem interessante, é algo que sempre me fascina ver as reações das pessoas quando eu conto para elas sobre monges com macs.

Sabe, e eu me lembro dessa moça uma vez. Ela veio me visitar no monastério, e ela me fez uma pergunta, e eu respondi:

Porque você não me manda um e-mail, e eu posso responder o e-mail com a resposta do meu professor, e isso vai te dar algumas boas ideias.

Ela me olhou de um jeito estranho e finalmente perguntou:

Está tudo certo monges terem e-mail?

Eu disse:

É claro que é tudo certo monges terem e-mail, desde que não tenha nenhum anexo! – Risadas –

Algumas pessoas só estão entendendo agora!

Então a tecnologia por si só não é algo ruim. Aliás, ela é algo lindo! Desde que estejamos no controle.

Mas se toda vez que o seu iphone tocar ou fazer algum barulho e você pegá-lo, e você vai: “Sim, mestre. Como eu posso lhe servir hoje?”

Então você vive neste mundo de distrações. Isso está treinando você a ser distraído. 

Porém se você eventualmente utilizar tecnologia, então a tecnologia não é algo ruim.

Quando eu disse sim, mais cedo, que a tecnologia pode ser distrativa, há alguns aspectos da tecnologia que podem ser distrativos.

Por exemplo, no Mac você tem aquelas notificações, mas elas são tão fáceis de desligar quanto dar um clique.

Desligando essas notificações e não respondendo. Escolhendo com o que você quer interagir.

Então, a tecnologia por si só não é algo ruim. A pergunta é: Nós escolhemos nos relacionar com isso ou não?

Então, como nós nos tornamos bons em concentração?

Nós primeiramente começamos entendendo a mente.

Certo? Todos nós temos uma mente. É a ferramenta mais poderosa do mundo. Ela criou o smartphone, ela coloca máquinas que vão sozinhas até Marte.

Porém, não existe nenhum manual para a mente, certo?

Quando foi a ultima vez que você viu um manual para a mente? Ainda assim você compra uma câmera de mirar e tirar foto, e  que o único propósito e dever é mirar e tirar a foto. E ela vem com um manual de 100 páginas!

Ainda assim nós temos a ferramenta mais complexa do mundo, a nossa mente, e não tem nenhum manual.

Então, a primeira coisa que eu aprendi quando eu cheguei no mosteiro foi aprender como a mente trabalha. Porque uma vez que você sabe como a mente funciona, você pode controla-la, e uma vez que você consegue controlar, você consegue ter foco!

Você não consegue focar ou concentrar em alguma coisa que você não entende.

Então, como é que a mente funciona?

Da perspectiva dos monges, da experiência dos monges com a mente, há duas coisas que você precisa entender!

Primeiramente que existe consciência, e uma outra coisa que é a mente.

Eu vou usar alguns momentos para explicar isso para você e compartilhar o que elas são.

Imagine que a consciência é uma bola brilhante feita de luz, como uma esfera que flutua. Certo? Então isso é a consciência.

Agora imagine a sua mente como um vasto espaço, uma vasta área com varias seções diferentes nela. Uma área da mente é a raiva, ciúmes, comida, sexo, felicidade, prazer, ciência, arte. 

E essa bola brilhante chamada consciência pode viajar pela mente, e pode ir para qualquer lugar da mente que ela queira. E quando ela vai para uma área em específico da mente, ela ilumina aquela área.

Quando as luzes se ascendem naquela área da mente, você se torna consciente daquilo.

Então eu vou dar um exemplo:

Um amigo seu te convida para assistir um filme, por exemplo:

“Hey Doug, você quer assistir Missão Impossível 16?”

“Claro, vamos lá!”

Então você vai ao cinema, senta, as luzes estão todas acesas. Você está conversando com o seu amigo, e as luzes escurecem e o filme começa.

Se é um diretor ou produtor realmente bom, ele ou ela consegue fazer a sua consciência ir para qualquer lugar da mente que eles querem, certo? 

Eles podem levar a consciência para a parte triste da mente, a área feliz da mente, o filme pode ficar bem excitante, emocionante, tenso, amedrontador.

E noventa minutos depois, você vê duas palavras na tela, e está escrito: “O Fim”.

E você vira para o seu amigo e você fala: “Wow, foi um filme incrível não foi?”

Mas você pagou 13, 14 ou 15 dólares, ou seja lá qual o valor, para deixar o diretor levar a sua consciência para diferentes áreas da sua mente.

E isso acontece diariamente. Todos os dias nós permitimos que alguém ou alguma coisa durante o dia pegue a nossa consciência em uma área da mente e leve para outra.

Quando nós permitimos que uma pessoa ou alguma coisa faça isso, nós estamos nos distraindo.

A arte da concentração é a arte de manter a consciência, aquela bola de luz, em alguma coisa por um longo período de tempo.

Toda vez que essa bola de luz se distancia, nós a trazemos de volta. Ela se distancia de novo, e nós a trazemos de volta. Certo?

Então, essa é a teoria. Você possui a consciência e a mente. Você não é a mente.

Quando as pessoas falam:

“A minha cabeça vagueia o tempo todo”

Tecnicamente, essa firmação é uma mentira. O que vagueia é a sua consciência, a sua consciência está movendo-se dentro da sua mente.

Concluindo, essa é a teoria sobre isso.

Então vamos fazer uma exercício simples e prático para ver se isso realmente funciona ou se é apenas papo de monge, certo?

E pra isso, eu preciso da sua participação.

Eu preciso que todos vocês sentem-se corretamente em sua cadeira, tudo bem?

Se você tiver qualquer coisa em seu colo ou em suas mãos, apenas coloque no chão.

Sente-se corretamente em sua cadeira com a sua coluna reta. Se você está inclinado para trás, apenas sente-se um pouco mais para frente.

Eu quero que vocês fechem os seus olhos, respire devagar e profundamente.

Agora eu quero que você tenha consciência desta sala. Tenha consciência da cadeira que você está sentado. Tenha consciência de qualquer som que você possa ouvir, o som da minha voz, o zumbido do projetor ou ar condicionado.

Agora eu quero que você se lembre do último casamento em que você foi.

Você se lembra qual casamento foi esse? Quem estava se casando? Você aprovou o casamento?

Tente pensar sobre tudo o que você consegue sobre este casamento.

Você foi sozinho? Você foi com a sua família?

Foi um casamento grande, centenas de pessoas, ou foi um casamento pequeno e íntimo com talvez vinte ou trinta pessoas?

Como estava a comida? Estava gostosa?

Tinha álcool? Você bebeu bastante?

Você consegue lembrar o quanto você bebeu?

Você se lembra de como a noiva estava vestida? Ela fez uma boa escolha?

Agora eu quero que você se lembre do feriado mais recente que você viajou, as férias mais recentes que você tirou.

Você se lembra onde foi isso? Aliás, que tipo de férias foi essa?

Foi um retiro de yoga, foi uma viagem de bem estar? Foi uma viagem educacional? Foi uma aventura? Por quanto tempo você ficou lá?

Como estava o tempo por lá? Tente se lembrar tudo o que você consegue sobre essas férias. Você gastou muito dinheiro? Como estava a comida? Apimentada? suave? ruim? Você ficou doente comendo essa comida?

Agora os seus olhos ainda estão fechados, eu quero que vocês tomem consciência desta sala novamente.

Preste atenção na cadeira que você esta sentado, o som da minha voz. O zumbido do ar condicionado ou do projetor.

Agora abra os seus olhos lentamente e se acomodem em seus assentos novamente.

Certo, este foi um exercício bem simples para provar para você duas coisas.

A primeira é, existe uma separação clara entre a consciência e a mente. E segundo, você pode realmente pode levar a sua consciência para qualquer área da sua mente que você queira ir, porque vocês acabaram de permitir que eu fizesse isso.

Eu peguei a sua consciência desta sala, tornando-se consciente sobre a cadeira que você está sentado, o som da minha voz, do ar condicionado, do projetor, e você foi para a área da sua mente que estava o casamento. E quanto mais você ficou lá, mais você pensou sobre ele.

Como eu sei que você estava pensando sobre isso?

Porque eu fiquei com os olhos abertos e quando eu fiz uma pergunta como “A noiva fez uma escolha ruim?”

Alguns de vocês ficaram, tipo, hmm, é…

Com um vestido, sim!

Então, eu sabia que você estava pensando sobre o casamento, certo?

E depois vocês foram da área do casamento em sua mente e você viajou até a parte das férias. E você ficou lá.

Enquanto você estava nas férias, vocês não estavam pensando sobre o casamento, ou sobre esta sala.

E depois vocês vieram da área das férias em sua mente e voltaram para esta sala novamente.

E eu fiz com que você pensasse sobre a cadeira, a sala. E você não estava pensando sobre o casamento ou as férias.

E é isso que acontece todo dia. Nós permitimos que pessoas e outras coisas que estão em nossa volta pegar a nossa atenção de um lugar em nossa mente para outra, durante o dia inteiro.

Desde o momento em que acordamos, e por isso nós ficamos distraídos.

Se concentrar é ser capaz de manter o seu foco em uma única coisa por um longo período. Como nós praticamentos isso?

Nós praticamos isso fazendo uma coisa de cada vez durante o dia. Qual a melhor maneira de desenvolver a concentração?

A melhor maneira de desenvolver a concentração é trazer a prática dela em todos os dias de nossa vida. Olhe para as oportunidades ao longo do seu dia.

Em um dia comum, pergunte a você mesmo: Qual é a grande oportunidade para praticar concentração?

Quantos de vocês são casados ou possuem um parceiro que mora com você? Muitos de vocês.

Toda vez que você falar com a sua esposa ou o seu parceiro, mantenha a bola de luz, aquela consciência naquela pessoa.

Se ela fugir, traga-a de volta. Se ela fugir, traga-a de volta.

O quanto mais você praticar isso, mais você fica melhor em sua concentração. Dê a ele ou ela a sua atenção plena.

Então, se você conversar com a sua esposa duas horas por dia, olha que grande oportunidade de praticar a sua concentração.

Toda vez que você conversar com os seus filhos, pratique a concentração.

Pais vêm até mim o tempo todo e falam:

“Dandapani, como eu ensino o meu filho se concentrar?”

Muito fácil: você aprende a se concentrar primeiro.

Tem um velho ditado que diz:

O macaco vê, o macaco faz.

E se você não consegue se concentrar, você não pode esperar que os seus filhos se concentrem. E se você não ensinar os seus filhos como se concentrar, como eles podem aprender como se concentrar? Eles não conseguem.

Os benefícios da concentração são muitos, certo?

Quando você está apto a se concentrar, você consegue focar toda a sua energia em um único ponto.

A vida é uma manifestação de onde a sua energia está fluindo. E se você não consegue concentrar a sua energia, as coisas que você deseja manifestar na sua vida torna-se bem desafiadoras.

Então aprenda a se concentrar fazendo uma coisa de cada vez.

Traga esta prática para tudo o que você faz ao longo do dia. Faça isso parte da sua vida. Pratique, pratique, pratique. Continue trazendo a sua consciência de volta, e a mantenha focada em uma coisa de cada vez.

Compartilhe essa mensagem com os seus filhos. Seja um exemplo para eles para que eles possam crescer. Vamos parar de drogar os nossos filhos e resolver este problema simples, ensinando-os como se concentrar, e ajudando-os a praticar a concentração.

Seja inabalável com o seu foco. Prossiga com confiança, pois a vida foi feita para ser prazerosa. E tudo isso começa em aprendendo a se concentrar, e manter-se focado.

Muito obrigado a todos!

One Response

  1. Vieira 1 de novembro de 2018

Leave a Reply